Leia um ensaio versus uma conversa em um bar

O formato contraditório, a discussão com argumentos, nas questões mais complexas é uma perda de tempo. Por serem tópicos com fio, as declarações devem ser acompanhadas de livros, diagramas, diagramas, estatísticas, registros, etc.

Se, em uma conversa em um bar, um convence o outro, provavelmente ele o alcançou porque o outro carece de conhecimento fundamentado sobre o assunto do brilho, ou porque não há preconceitos cognitivos muito fortes que o inclinem para a posição oposta. Pelo contrário, entre duas pessoas ricas em conhecimento, discussão em tempo real é infrutífera.

As pessoas gostam de discutir em bares, afirmar, ponderar, discordar, jogar soflamas. Mas em tempo real, não somos capazes de usar sutilezas e enfrentá-las adequadamente. Quando tomamos café com alguém, usamos apenas os dados que vêm à nossa mente naquele momento.

Primeiro de tudo, porque uma conversa no bar dura algumas horas, às vezes minutos. Segundo, porque é difícil ser preciso e coerente se expormos um assunto complexo da memória e se, além disso, tivermos alguém que nos faça perguntas ou perguntas.

A alternativa em forma de livro

Outra maneira de discutir uma questão complexa é ler um ensaio sobre ela. Um daqueles ensaios de cem ou duzentas páginas nas quais as declarações são apoiadas pela bibliografia que podemos consultar. Enquanto lemos, podemos fazer anotações, escrever reflexões que amadureceremos mais tarde.

Ler um ensaio não é uma panacéia. Descobri-me com uma opinião ao ler um ensaio e com o oposto ao ler outro ensaio. Mas, a propósito, Eu enriqueci as duas posições.

Seja como for, certos livros ainda são construções por excelência e sintéticas da excelência do cérebro do autor. Então, quando lemos o autor, não tomamos café com o autor, mas com a parte de sua mente que é mais bem mobiliada e arrumada. Com o autor no seu melhor.

Por esse motivo, adotamos esta entrada na discussão de questões complexas para recomendar três leituras recentes que são contrárias ao tom otimista que sempre mostramos sobre tecnologia. São livros que possuem ampla bibliografia e que, embora afirmem coisas que nos colidem, são indubitavelmente bem-argumentados e podem nos fazer pensar. Muito mais do que qualquer conversa de bar:

-A loucura do solucionismo tecnológicode Evgeny Morozov.

-Sinistro Technode Thomas P. Keenan.

-Superfíciede Nicholas Carr.

Vídeo: STRIP DE CASAL COM MC MIRELLA E DYNHO ALVES. #HottelMazzafera (Dezembro 2019).